segunda-feira, 11 de julho de 2011

Sudão reconhece Sudão do Sul como país

Sudão reconhece Sudão do Sul como país
  
SUDÃO (35º) - O Sudão do Sul se tornou oficialmente, às 18h01, desta sexta-feira, dia 8 (hora de Brasília, 0h01 de sábado, dia 9) o mais novo país do mundo, ao oficializar sua independência do restante do Sudão.

Em janeiro, 99% dos eleitores do Sudão do Sul votaram a favor da separação da região, predominantemente cristã e animista, em relação ao norte, governado a partir de Cartum, onde a população é em sua maioria muçulmana e de origem árabe.

A ONU (Organização das Nações Unidas) enviou uma tropa de capacetes azuis, da missão de manutenção de paz, para o país, com temor de conflitos.

Prestes a se tornar o mais novo país da África, quando proclamar sua independência amanhã, o Sudão do Sul enfrenta desafios inusitados.

Vencer algumas das piores estatísticas sociais do mundo é tarefa árdua, mas a burocracia da criação do Estado é o primeiro empecilho.

Sem indústria própria, o novo país precisou encomendar da China centenas de bandeiras de seis cores (antigo emblema do Exército de Libertação do Povo do Sudão --SPLA, na sigla em inglês).

Por falta de tempo, o país ainda não terá moeda própria. Até que o desenho da nova moeda seja finalizado, o Sudão do Sul manterá a libra sudanesa, herança do sistema financeiro de Cartum, capital do norte.

Apesar de o país já possuir administração autônoma desde 2005, com Constituição interina, ainda deve ratificar tratados internacionais, como a Convenção contra Tortura.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails